Economia

Governo de Goiás anuncia R$ 1,6 bilhão em investimentos com a instalação de mais 24 empresas

O Governo de Goiás, sob a coordenação da Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços (SIC) e em parceria com outras...

O Governo de Goiás, sob a coordenação da Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços (SIC) e em parceria com outras pastas estaduais, consolidou a captação de R$ 1,6 bilhão em investimentos, por meio da atração de mais 24 indústrias e empreendimentos, que se instalam, em breve, em solo goiano. Os protocolos assinados pelo governador Ronaldo Caiado, nesta quinta-feira (13), com empresários e prefeitos de mais de dez municípios representam a geração de 16.931 empregos, sendo 3.976 diretos e 12.955 indiretos. É uma injeção na economia do Estado, em pleno contexto da pandemia, ainda maior do que foi alcançado no último mês de maio.

Aliás, quando se leva em conta 2020, o Executivo já consegue traduzir em números o que significaram três grandes anúncios de investimentos ao longo do ano. Noventa empresas assinaram protocolos de intenção com o governo, o que totaliza mais de R$ 4,1 bilhões de recursos, além da criação de mais de 40 mil postos de trabalho.

Durante o evento, realizado por videoconferência e transmitido pelas redes sociais, o governador Ronaldo Caiado agradeceu o apoio dos empresários por acreditarem no potencial do Estado e também à Assembleia Legislativa, responsável pela aprovação de diversas matérias que viabilizaram a regionalização – marca forte da atual gestão –  do desenvolvimento econômico.

A confirmação do crescimento econômico de Goiás veio com demonstrações gráficas. Para se ter uma ideia, em menos de dois anos de gestão, o atual governo já soma 159 protocolos assinados – 69, de 2019, mais 90, de 2020 -, o que ultrapassa a marca dos 93 dos cinco anos anteriores.

Caiado aproveitou o encontro virtual, que contou com a participação de vários empresários e lideranças políticas, para anunciar, ainda, que o ministro dos Transportes, Tarcísio de Freitas, assinará no ano que vem a duplicação da BR-153, de Anápolis até a cidade de Porangatu. “Também já foi autorizado pelo TCU [Tribunal de Contas da União] o lançamento da construção da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste, entre Campinorte, Mara Rosa, indo até Água Boa (MT). Mas iniciando as obras por Goiás”, informou.

Apoio do Legislativo

A parceria que o governador tem firmado com todos os Poderes também já dá frutos visíveis. Caiado citou, por exemplo, a apreciação da matéria enviada pela Governadoria para criar o rol de municípios prioritários que devem receber os investimentos. Nesse sentido, por exemplo, a prefeita Tânia Salgueiro, de Santa Rita do Araguaia, cidade localizada no extremo Sudoeste goiano e contemplada com a ida de duas empresas de energia fotovoltaica, deixou claro que, não fosse a política de descentralização de investimentos implantada por Caiado, sua região não teria sido beneficiada.

“Esse é um projeto arrojado do governador, que vai, inclusive, possibilitar a atração de outras empresas para a nossa cidade. Isso agrega e fomenta o desenvolvimento do nosso município”, observou.

Na mesma linha foi a fala do deputado estadual Diego Sorgatto que, no ato, representou o presidente da Assembleia Legislativa, Lissauer Vieira. Ele lembrou que encaminhou emenda à matéria, quando esta tramitou na Alego, para que Luziânia integrasse os municípios prioritários. Assim feito, nesta quinta-feira (13/08), o parlamentar agradeceu ao governador pela atração de três empresas para a região. “Certamente vai ajudar a solucionar o problema do desemprego”, testemunhou, confirmando a necessidade de atenção do poder público ao Entorno do Distrito Federal, umas das áreas historicamente mais vulneráveis socialmente.

Ao apresentar os resultados obtidos em pouco mais de um ano e meio de gestão, o titular da SIC, Adonídio Neto, citou o trabalho desenvolvido por seu antecessor, Wilder Morais. O secretário mostrou a liderança que Goiás assumiu na área de desenvolvimento econômico, servindo de inspiração para outros Estados brasileiros.

“Saímos, de 2018, de praticamente último lugar na produção industrial do País, para primeiro lugar em 2020. Isso é resultado do planejamento do Governo de Goiás junto com empresários, que aqui encontraram um cenário melhor para investir”, sublinhou Adonídio Neto.

O auxiliar do primeiro escalão ainda demonstrou que, durante a pandemia, dois anúncios foram feitos em 2020, a atual gestão conseguiu distribuir o desenvolvimento em todas as regiões do Estado, “seguindo uma determinação do governador”. Norte e Nordeste goiano, Extremo Sudoeste e o Entorno do DF foram contemplados ao longo deste ano.

Protagonismo

Além do grande volume de recursos que chegam a Goiás como mola propulsora ao desenvolvimento, a diversificação dos setores dessas empresas contribui para a geração e melhor distribuição de riquezas entre os 7,2 milhões de goianos.

Os industriais que assinaram protocolo são de distintas áreas e, ainda, protagonistas na seara em que atuam. Goiás passará a ser um dos três fabricantes de proteína concentrada de soja e, depois de 70 anos sem autorização no Brasil inteiro, vai sediar uma indústria de armamentos, cuja instalação será em Anápolis, com previsão para 2021.

Produtos de alimentação e saúde animal; medicamentos; geração de energia fotovoltaica; estruturas metálicas – o que aquece a construção civil no Estado -; terminal rodoviário, turismo na região de Alexânia, bebidas, entre outros, completam a lista de setores que passam a beneficiar os goianos na gestão Caiado.

Participaram, também, de toda a costura para a instalação de novas empresas em Goiás as secretarias da Retomada, da Economia, do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), de Desenvolvimento e Inovação (Sedi), da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), além da GoiásTurismo, GoiásFomento e a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Goiás (Codego).