Cidades

Governo de Goiás faz recuperação asfáltica em 20 municípios nesta semana

O Governo de Goiás executa, nesta semana, obras de recuperação asfáltica de ruas e avenidas em 20 municípios, contemplando as...

O Governo de Goiás executa, nesta semana, obras de recuperação asfáltica de ruas e avenidas em 20 municípios, contemplando as regiões Oeste, Sudeste, Nordeste, Centro, Sul e Sudoeste do Estado, além do Entorno do Distrito Federal (DF) e da região Metropolitana de Goiânia. Com estas frentes de serviço em andamento, a Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra) registra 122 cidades já atendidas pelo programa Goiás em Movimento – Eixo Municípios, com investimentos estaduais que ultrapassam R$ 174,5 milhões.

As frentes de serviço estão em Vila Boa, Luziânia, Padre Bernardo, Cidade Ocidental e Corumbá de Goiás, no Entorno do DF; na região Oeste, Baliza, Moiporá, Jandaia e Santa Bárbara de Goiás recebem os maquinários do Estado; no Sudeste, há trabalho em Santa Cruz de Goiás e Anhanguera; e no Nordeste, a recuperação da malha urbana é realizada em São Domingos e Alto Paraíso. Próximo à capital, estão em obras as ruas de Nerópolis e Trindade; no Centro goiano, as cidades contempladas são Itapaci e Jesúpolis; no Sul, Bom Jesus de Goiás e Porteirão; e, no Sudoeste, Portelândia.

Além do recapeamento com aplicação de nova capa asfáltica, é promovida a sinalização horizontal das vias. A infraestrutura urbana recebe o programa a partir da celebração de convênio entre a prefeitura e o Estado. “Já temos acordos firmados com mais cerca de 57 cidades, que também estão com as obras contratadas”, adianta o presidente da Goinfra, Pedro Sales.

Sales aponta que com as obras executadas pelo Estado, as cidades ganham fôlego para investir em outras áreas. “O Eixo Municípios tem sido um suporte importante às prefeituras, sobretudo em um momento delicado do pós-pandemia”, observa. “Com esse trabalho, garantimos trafegabilidade e possibilitamos que um recurso que antes era destinado ao asfalto possa ser revertido para a saúde e a educação”, observa.

Todas as ruas e avenidas que recebem as frentes de serviços são definidas pelas prefeituras, conhecedoras dos gargalos locais e, assim, são atendidas as vias estratégicas para o desenvolvimento regional.