Cidades

“Temos atuado para salvar vidas, atender os mais vulneráveis e gerar empregos”, afirma Caiado

“Nós temos atuado fortemente para salvar vidas, e temos como metas: diminuir a perda de renda, aumentar a oferta de...

“Nós temos atuado fortemente para salvar vidas, e temos como metas: diminuir a perda de renda, aumentar a oferta de trabalho e garantir assistência às famílias vulneráveis”, assegurou o governador Ronaldo Caiado ao comentar as mudanças promovidas na sua gestão diante do cenário da pandemia do coronavírus no Estado. A declaração ocorreu durante visita ao Coreto da Praça Cívica, na terça-feira, dia 16, ao lado do prefeito de Goiânia, Iris Rezende. A construção foi restaurada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Com mais de dez mil casos de coronavírus confirmados no Estado, o Governo de Goiás tem conseguido contornar a crise com novas estratégias. Na área da saúde, a estadualização dos hospitais no interior criou novos leitos e vagas de UTI que não existiam, possibilitando que a população não fique desassistida.  

No setor econômico, o Estado tem enfrentado queda na arrecadação. Apesar disso, tem se esforçado para oferecer crédito para pequenos e médios empresários; distribuído cestas básicas aos mais vulneráveis nos 246 municípios goianos; prorrogado o prazo de arrecadação de impostos; e tomado uma série de outras medidas para dirimir os efeitos causados pela crise provocada pela pandemia em Goiás.

“É o novo normal que estamos vivendo e que exige uma nova realidade de plano de governo, para não deixar que a população se sinta desassistida no momento em que o governo também está tendo queda na arrecadação e precisa, ao mesmo tempo, oferecer um apoio para o cidadão”, reforçou Caiado. 

Coreto da Praça Cívica

Pertencente à Prefeitura de Goiânia, o Coreto fica no início da avenida Goiás, em frente ao Palácio das Esmeraldas, foi restaurado pelo Iphan e entregue no último dia 7 de maio. O governador Ronaldo Caiado ressaltou que Coreto integra o conjunto arquitetônico art déco da capital, que tem uma importância ímpar para a cultura goiana. “Junto com o Coreto, nós temos também a nossa Torre do  Relógio que está sendo recuperada e a Chefatura de Polícia que daqui uns dias será entregue”, destacou.

A Torre do Relógio também está sendo restaurada pelo Iphan. A obra prevê a recuperação do revestimento, reforço estrutural e a reativação do relógio. Já a Chefatura de Polícia é uma obra do Governo de Goiás em parceria com o instituto, responsável pelo investimento. “Nós temos a  função de fiscalizar, mas quando o Iphan percebe que algum bem está sofrendo algum risco na sua estrutura, nós intervimos”, declarou o superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Allyson Cabral.

Inaugurado em 1942, ano do batismo cultural de Goiânia, o Coreto da Praça Cívica passou por recuperação integral da laje, dos pisos e dos bancos em granitina. A parte externa recebeu restauração no reboco, também nos adornos, execução de calçada acessível, paisagismo e pintura. A obra foi revitalizada com verba do governo federal, mas sua gestão é de responsabilidade da Prefeitura de Goiânia. “A recuperação do Coreto é uma demonstração de que nossa cidade precisa ser preservada porque faz parte da nossa história”, declarou o prefeito de Goiânia Iris Rezende.

Chefatura de Polícia

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult Goiás), participou diretamente da elaboração do projeto de restauração da Chefatura de Polícia. A Superintendência de Patrimônio Histórico da Secult tem atuado junto ao Iphan desde que foi tomada a decisão pela realização da obra. Os projetos foram executados pela Secult e doados ao Iphan. O órgão federal licitou e é responsável pela execução da obra. A Secult é responsável, ainda, pela fiscalização da obra.

Esta é uma das ações que o Estado tem empregado para reavivar a Praça Cívica, um dos cartões postais de Goiânia. “Desde que chegamos ao governo, uma coisa que tive preocupação é fazer com que essa Praça voltasse a ter vida, a ter participação da população”, disse Caiado. A previsão é de que o prédio da Chefatura de Polícia seja entregue ainda neste semestre.

O edifício, que é tombado pelo Iphan, ficou fechado de 2015 a 2019. Devido à falta de utilização, a construção estava degradada e servindo de abrigo para moradores de rua e esconderijo para traficantes e usuários de droga. Com a restauração, o prédio volta a ser utilizado e passa a figurar novamente como um dos principais cartões postais da Capital.